Transformação Digital – o futuro da Logística Internacional

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O ano de 2020 teve um início inesperado e surpreendente para as mais diversas áreas da economia. Afetadas fortemente pelas consequências do Coronavírus, as empresas terão que ajustar sua forma de atuar para sobreviver às mudanças impostas pelo mercado, que vem se tornando cada vez mais digitalizado.

Na área de frete internacional, alguns armadores já vêm desenvolvendo e aprimorando nos últimos anos plataformas online, onde é possível a contratação não só do frete marítimo internacional, como também em alguns casos serviços adicionais de despacho aduaneiro, transporte rodoviário e até seguro internacional.

A ideia é muito parecida com a forma que compramos passagens aéreas hoje, acessando apenas um site e cadastrando os dados do contratante, é possível para uma data específica “reservar” um container e fixar um valor de frete sem que este sofra reajustes em consequência das variações da economia, normalmente com no máximo 6 semanas de antecedência.

Visando um crescimento sustentável, assim como já acontece quando compramos uma passagem aérea, em caso de cancelamento ou mudança de datas solicitada pela parte contratante, há incidência de penalidades como por exemplo taxa de cancelamento e possíveis custos extras.

As empresas que desejarem se adaptar à estas mudanças terão que automatizar grande parte dos seus processos manuais tornando-os 100% digitais. Os investimentos em tecnologia aliados à digitalização dos processos logísticos tornarão o processo menos burocrático, mais ágil e transparente.

Apesar de não estar 100% difundida entre todos os armadores existentes hoje, a ideia de se poder mover uma carga do ponto A ao ponto B, acessando apenas a internet e preenchendo alguns dados, já é uma realidade tanto na importação quanto na exportação, e deve obrigar os envolvidos neste processo a se adequarem ao novo formato, deixando automaticamente para trás as empresas que resistirem as mudanças nos próximos anos.

Deixe seu comentário